+55 16 3945-2732
Aceitamos financiamento BNDES
26/03/2015

CSN tem lucro líquido de quase R$ 67 milhões no 4º trimestre

voltar
Imagem retirada de http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2015/03/csn-tem-lucro-liquido-de-quase-r-67-milhoes-no-4-trimestre.html
 A siderúrgica CSN teve lucro líquido de cerca de R$ 67 milhões no quarto trimestre, invertendo resultados negativos sofridos nos três meses imediatamente anteriores e no mesmo período de 2013.

O desempenho foi apoiado em melhora do resultado financeiro, que passou a adotar nos sistema de contabilização de hedge no quarto trimestre.

Segundo o balanço da CSN, a empresa passou a designar parte dos seus passivos em dólar como hedge de suas futuras exportações, "permitindo assim que os impactos das variações cambiais sobre o passivo e as exportações possam ser registrados simultaneamente".

Apesar da melhora do resultado financeiro, que ficou negativo em R$ 581 milhões ante quase 1 bilhão negativo no quarto trimestre de 2013, a relação de endividamento da CSN voltou a subir.

A empresa encerrou o quarto trimestre com uma relação dívida líquida sobre lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de 4 vezes ante 2,91 vezes nos três últimos meses de 2013 e 3,2 vezes entre julho e setembro do ano passado.

A alavancagem subiu diante de uma alta anual de 20% na dívida líquida no quarto trimestre, para 18,9 bilhões de reais, e queda de 42% no Ebitda, para R$ 1,010 bilhão.

A CSN vendeu 1,253 milhão de toneladas de aço nos três últimos meses de 2014 ante 1,448 milhão de toneladas no mesmo período de 2013, seguindo a mesma tendência de queda verificada por rivais como a Usiminas, que têm sofrido com a estagnação da economia brasileira.

Além da queda na produção de aço, a CSN também viu desempenho mais fraco nos importantes negócios de minério de ferro, cujos preços internacionais estão despencando desde o ano passado para níveis próximos de 2008.

A CSN apurou vendas de 7,543 milhões de toneladas de minério de ferro no quarto trimestre, uma queda de 3 por cento sobre o volume vendido nos três últimos meses de 2013.

Com isso, a participação das operações de mineração da empresa no Ebitda ajustado do grupo despencou para 28,1% em 2014 ante 45,9% em 2013. Já a parcela da siderurgia passou de 43% para 57,7%.

A companhia investiu no ano passado R$ 2,236 bilhões ante R$ 2,8 bilhões estimados no início de 2014 para o ano. A área de mineração foi a que recebeu mais recursos, R$ 699 milhões no ano passado, mas a soma ficou longe do previsto inicialmente, de R$ 1,5 bilhão.


Fonte: G1