+55 16 3945-2732
Aceitamos financiamento BNDES
30/10/2014

Otimismo sobre China impulsiona bolsas asiáticas

voltar
Leonardo Novaes, SXC
As principais bolsas asiáticas fecharam em alta nesta terça-feira, impulsionadas por uma perspectiva mais positiva para a economia da China e balanços corporativos locais. Por outro lado, a expectativa com o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), que nesta semana revisa sua política monetária, manteve alguns mercados menores pressionados.
 
O Xangai Composto, principal índice acionário chinês, subiu 2,1%, encerrando a sessão a 2.337,87 pontos. O Shenzhen Composto teve desempenho ainda melhor, com ganho de 2,4%, a 1.333,53 pontos.
 
“Os investidores logo deixaram de lado o revés temporário com o programa que ligará as bolsas de Xangai e Hong Kong e passaram a prestar mais atenção a um conjunto de fatores positivos (da China), como um ambiente de política monetária mais relaxada e sinais de recuperação no mercado imobiliário”, comentou Amy Lin, analista sênior da Capital Securities.
 
Ontem, os mercados em Hong Kong e de Xangai tiveram perdas após um anúncio, no fim de semana, de que ainda não há uma data para o início do programa que interligará investimentos em ações nas duas bolsas. A princípio, a expectativa era que o sistema entrasse em vigor antes do fim deste mês.
Especulação sobre novos estímulos na China contribuiu para a recuperação da Bolsa de Hong Kong nesta terça. O índice Hang Seng avançou 1,63%, a 23.520,36 pontos. Em Taiwan, o Taiex mostrou ganho de 1,7%, a 8.773,55 pontos, com demanda maior de investidores estrangeiros por ações.
 
Entre mercados pequenos da Ásia, os negócios foram marcados por cautela antes da reunião de política monetária do Fed, que amanhã poderá encerrar seu programa de compras mensais de bônus, como planejado, e dar indicações de quando começará a elevar as taxas básicas de juros. Enquanto o índice sul-coreano Kospi recuou 0,33%, a 1.925,68 pontos, o filipino PSEi caiu 0,5%, a 7.066,74 pontos, e o FTSE Straits Times, de Cingapura, se enfraqueceu 0,45%, a 3.211,65 pontos.
 
Na Oceania, o dia também foi de desvalorização para a bolsa australiana, que vinha mostrando tendência de alta nos últimos pregões. O S&P/ASX 200, índice das ações mais negociadas em Sydney, cedeu 0,1%, a 5.452,60 pontos. A queda recente nos preços das commodities pesou sobre ações de energia e mineração. A Woodside Petroleum caiu 1,5%, enquanto BHP Billiton e Rio Tinto, grandes produtoras de minério de ferro, perderam 1,5% e 1,3%, respectivamente. Com informações da Dow Jones Newswires – sergio.caldas@estadao.com)


Fonte: Notícias Mineração, com informações de Yahoo Notícias