+55 16 3945-2732
Aceitamos financiamento BNDES
14/08/2015

PIEE dá maior previsibilidade aos investidores, diz Braga

voltar
Imagem retirada de http://www.cenariomt.com.br/noticia/464542/novo-programa-de-investimento-em-energia-eletrica-e-bem-recebido-pelo-setor.html
O Programa de Investimento em Energia Elétrica (PIEE), com estimativa de R$ 186 bilhões em investimentos de geração e transmissão elétrica a serem contratados entre agosto de 2015 e dezembro de 2018, trará maior previsibilidade para os empreendedores, afirmou o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, em coletiva de imprensa na terça-feira, após o lançamento do programa.

"Essa previsibilidade é importantíssima para que os investidores do setor privado possam se programar para participação dos nossos eventos, já que nossos investimentos são basicamente do setor privado em parceria com algumas empresas do setor público privado com programas de financiamento que envolvem o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e debentures de infraestrutura", afirmou o ministro.

Dos R$ 186 bilhões previstos em investimentos, R$116 bilhões serão em obras de geração e R$ 70 bilhões em linhas de transmissão, que fortalecerão o Sistema Interligado Nacional (SIN) e permitirão o fornecimento de energia a preços mais competitivos aos brasileiros, para prover ao país a energia necessária ao seu crescimento econômico.

O programa também reforça a importância das energias renováveis para a matriz energética do país, avalia Braga. Dos até 31.500 MW de nova energia que devem ser contratados até 2018, 26.500 MW são de fontes renováveis, incluindo a hidrelétrica. A expansão da fonte eólica nos últimos anos evidencia essa vocação da matriz elétrica brasileira, o que deverá se repetir com a solar fotovoltaica, segundo o ministro.

"No ano passado geramos mais de 30 empregos neste setor e a cada megawatt de energia eólica implantado são criados 15 novos postos de trabalho em nosso país. Este tipo de sucesso nós queremos repetir em outras fontes renováveis que terão cada vez mais a nossa atenção, inclusive a energia solar fotovoltaica. Em breve, as distribuidoras de energia serão parceiras de nossos clientes em projetos de geração distribuída e de microgeração", afirmou. "E neste momento, a Aneel está coordenando um programa de extensão e prorrogação dos prazos de contratos de concessão das distribuidoras, onde nós teremos investimentos significativos também no setor", disse.


Fonte: Udop, com informações da Assessoria de Comunicação Social do Ministério de Minas e Energia